quinta-feira, 5 de julho de 2012

Nana, Nenê – resenha


Finalmente tive a chance de ler o livro “Nana, Nenê”. Como eu já tinha ouvido muito falar dele – gente que ama, gente que critica a rigidez do método –, resolvi escrever um post pra dar a minha humilde opinião! J

Em termos de conteúdo eu não achei o livro nem espetacular e nem tão rígido no seu método. Explico.

Nada espetacular se comparado ao livro da Encantadora de Bebês (da Tracy Hogg), que é muito mais rico em argumentação para cada postura defendida, bem como muito mais didático e detalhista nas sugestões de cuidados, brincadeiras, ensinamentos etc. para o bebê. Os dois livros têm sim várias filosofias em comum, como eu já suspeitava, mas a leitura da obra de Tracy Hogg é definitivamente mais prazerosa e mais esclarecedora.

E tampouco achei o método defendido pelos autores do Nana, Nenê assim tão duro! Ao contrário, eles falam até de situações em que se pode pegar o bebê no colo (no caso da hora de dormir, por exemplo). Achei que eles deixaram espaço suficiente pra flexibilidade e bom senso da mãe.

Agora o que eu realmente não gostei desse livro foi a tradução! Que mal feita! Que leitura pouco fluida por causa de estruturas frasais estranhas, artificiais, que não correspondem ao nosso jeito de falar ou escrever. Por isso, pra quem sabe inglês é sem dúvida melhor ler no original.

De qualquer forma, sempre vale a leitura. Assim, você pode fazer a sua própria resenha! J

6 comentários:

  1. Pois sabe que essa questão da tradução é um dos fatores que eu mais gosto no Encantadora de Bebês que eu tenho aqui! O que você leu é em inglês, não?! A edição que eu tenho aqui é brasileira e superatual, a tradução é tão bem escrita que é uma delícia de ler!! Já várias vezes voltei e li capítulos inteiros de novo, sem cansar. Adoro. Sempre fico pensando isso: "como é bem escrito!". =)

    Então quer dizer que o Nana Nenê não tem nada demais... eu tinha começado a ler e agora já perdi a vontade de continuar. Tem outros na fila. =P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que eu tinha me perguntado sobre a versão brasileira do livro da Encantadora? Que bom que é boa! :)
      Do Nana Nene eu fiquei o tempo todo esperando o capítulo triunfante, que nunca chegou pra mim... Fiquemos, pois, com a Tracy Hogg!

      Excluir
  2. Dulce, eu sei que tem mais de um livro chamado Nana Nenê. Eu li esse que você postou foto e não achei muito duro também. Acredito que o mal falado seja o outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, é? Hummm, bom saber!

      Excluir
    2. Tens razão. O livro mais criticado é dos autores Richard Ferber e Eduard Estivil.

      Excluir
  3. Li e gostei muito..vou aplicar e ver no que vai dar..vi varios blogs criticando o livro mas sem muito embasamento cientifico..sempre embasados naquela coisa de que mãe que faz isso é desnaturada..achei o livro bastante flexivel até porque ele deixa claro que a mãe precisa observar o tipo do choro e que deve sim verificar e dar atenção se desconfiar de algo errado mesmo que não esteja. Vi várias mães reclamarem dos metodos falando que são rigidos demais..mas acho que todas essas mães infelizmente serão aquelas que irão mimar seus filhos a ponto de ficarem insuportáveis..rotina é importante..e o livro ainda deixa espaço para a mãe dar atenção ao bebe no momento em que for pra ele ficar acordado :)

    ResponderExcluir