domingo, 16 de outubro de 2011

A SORTE DE QUEM TEM EXCELENTES AMIGOS - primeiras aquisições mobiliárias


Eu costumo dizer pro De que a gente tem muita sorte com os nossos amigos e com as pessoas que estão ao nosso redor. E volta e meia acontece algo que me faz repetir essas palavras. Esta vez foi com as coisas do Caio.

Primeiro tenho que dizer que um bebê demanda “tralha” pra caramba, não? Deus do céu, é muita coisa. E cada artigo tem mil opções, diferentes tipos, marcas, preços, vantagens a oferecer... e pra mães de primeira viagem acaba sendo tanta coisa pra ler, pra pesquisar nas lojas, tanta informação pra absorver, pra pedir pras amigas que já são mães antes de decidir qual é o tipo que tu queres, que, olha, eu fico até com preguiça. Esses dias me peguei dizendo pra Cris que eu queria aproveitar agora que tô bem disposta pra agilizar tudo, mas que me dava uma preguiiiiça! Hehehe Pura contradição... e pura realidade.

Aí eu já tinha visto as listas do que precisa ter no quarto em diversos saites sobre gravidez e bebês que tem por aí e afinal eu já fui em quarto de bebês antes (afilhados, priminhos, etc.), e tinha então decidido que de móveis pro quarto eu só precisava do berço, uma cômoda numa altura boa pra já servir de trocador, e uma poltrona confortável pra amamentação. Apenas três coisas, nem é tanto! Aí pensei que teria que ter um moisés, algo mais portátil, até pra colocar no nosso quarto nos primeiros meses (vou preferir que no comecinho ele durma mais perto da gente); não podia me esquecer da cadeirinha pro carro (que não é bem uma cadeira, eu sei, pois o bebê vai ficar deitado, mas não lembro como chama aí no Brasil), e também da banheira, e, é claro, do carrinho, que talvez fosse melhor até ter dois, um mais profi e um daqueles guarda-chuva! Pronto, seria tudo! Ah, não, mas aí achei uma lixeirinha, daquelas que “isolam” a fralda usada, em promoção e resolvi comprar. E depois fui lembrando da babá eletrônica, do sling, da bolsa de bebê, e esses dias fui na casa de uma amiga mãe que conversou comigo sobre as mamadeiras, a bombinha de tirar leite, a chupeta... Socoooooooorro! Como disse essa minha amiga, “baby parafernalia” (com sotaque inglês: “paraferrrneilia”)!

Isso que eu nem falei nas roupinhas, né? Porque tenho a sorte de herdar roupinhas das minhas amigas e primas queridas, tirando as novas que a gente ganha de presente (é muito legal como todo mundo se envolve e participa de alguma forma da tua gravidez, não?), e que vão vir com meu irmão agora em dezembro, depois com a mãe, com o pai...

E as roupas e etc. que a grávida precisa? Mais uma sorte na minha vida de ter minha amiga-comadre Dani (somos comadres nos dois sentidos, eu e De padrinhos do Arthur, ela e Tiago do Caio!) tendo recentemente passado por uma gravidez e que já vinha guardando tudo pra mim antes mesmo de eu engravidar! É uma fofa! Ganhei roupas confortáveis e grandes pra todas as épocas da gravidez, a camisola de abrir na frente pra levar pra maternidade, sutiãs de amamentação, e váááárias outras coisas que nós, futuras mães, temos que ter. Ufa! Já pensou se eu tivesse que pensar em tuuuuuudo.

Aliás, quase fui injusta, eu não tenho que pensar em tuuuudo. O De me ajuda um monte. Fiquei superfeliz quando, há mais ou menos um mês, ele chegou em casa dizendo que tinha conversado com um amigo dele do trabalho (que já veio em casa num churrasco) que tem uma filhinha que acabou de fazer um ano, e que ia nos dar o bebê-conforto do carro (é assim que chama?), um moisés que nunca tinha sido usado, mais uma cadeirinha de balanço (aqui eles chamam assim mesmo, rocking chair, que o bebê usa mais tarde, com uns três ou quatro meses). Propusemos comprar deles, mas eles não aceitaram; disseram que era um prazer poder passar essas coisas pra gente. Uhuuuu!

E domingo passado fomos na casa deles buscar a “mobília”! Levamos uma poltroninha de presente pra filha deles, e depois ficamos sabendo que ela adorou! Já nossas novas aquisições quem adorou fui eu! E como se não bastasse, de lá fomos na casa de outro casal de amigos e acabamos ganhando uma babá eletrônica de qualidade e a banheirinha! De quebra, perguntei a opinião dela sobre os carrinhos, que pra mim é o mais difícil de escolher, e ela propôs nos emprestar o que ela tem até quando o Caio tiver três meses, que é quando nasce o segundo filho dela (sim, ela também tá grávida), porque depois de testar um seria mais fácil escolher! Nossa, adorei a ideia.

Enfim, voltamos com o carro absolutamente lotado de “baby parafernalia” e com a sensação de que parte da missão estava cumprida!

Durante a semana ainda comprei uma poltrona (de segunda mão também), que fomos pegar hoje, e que eu também curti: preço bom, bem cuidada, confortável, uma cor boa.

A maior parte está no nosso atual escritório, que é onde vai ser o quartinho do Caio. O De disse que eu podia colocar no quarto de hóspedes, que ainda está completamente vazio. Mas eu gosto de deixar no escritório mesmo, onde eu vejo tudo no meu dia a dia! Meu filho nem nasceu e eu já tô uma mãe boba, não? J

Fico boba-empolgada com essas coisas, mas não me esqueço de agradecer sempre pela sorte de ter os amigos que temos, e a família que nos apoia em tudo! Esse é o verdadeiro presente.




9 comentários:

  1. Oi Dulcinha!!!

    A primeira coisa que fiz foi tb olhar as listas na internet e me apavorei... Aí comecei a racionalizar e ver que muita coisa é pra te fazer comprar coisas inúteis. Algumas coisas são super importantes, mas tem muica coisa que não precisa. O carrinho a Lia me trouxe dos Eua, que é 1/4 do valor aqui do Brasil. O meu já veio com o bebe conforto e um suporte que adapta no carro. Isto é fundamental, pois vc já usa na saída da maternidade. Aff... comecei a ficar com preguiça de escrever tudo e o Léo me chama... depois te dou mais algumas dicas... Beijoss
    Angela

    ResponderExcluir
  2. Putz putz putz, assunto complicaaado! Pra maioria das mães essa fase deve ser uma delícia né.. mas não tanto pra mim! Eu não curto fazer compras. Não curto acumular coisas. Prefiro gastar dinheiro viajando e quando penso no tanto de tralha pra carregar... ainnn, preguiça!
    Eu já vi listas nesses sites (também me assustei!), já fiz minhas próprias listas (que tem menos da metade dos itens que as lojas indicam, claro), mas ainda não tive coragem de comprar nada!
    E quando falam em "fazer enxoval" então? Sempre achei esse termo bizarro, desde quando ganhei de presente de aniversário de 15 anos da minha vó lençois e toalhas, pra começar meu enxoval. hahaha
    Sério que precisa mesmo?? =P

    ResponderExcluir
  3. @Angela e Cris: Claro que a minha lista tb é bem menor do que as que gente vê em saites. E querendo ou não, se na vida prática a gente ver que falta algo, aí a gente resolve depois, né? Mas mesmo a lista do básico é grande, na minha opinião!
    Cris, tu ganhou coisa pro "enxoval" com 15 anos, é? Loucuraaa! Tá usando os lençois e toalhas?
    Ângela, pode dar mais dicas, viu?
    Bjsss pras minhas duas maiores comentaristas (junto com a Olga!)

    ResponderExcluir
  4. Minha vó não é normal. Só digo isso.
    Teve uma vez que o presente foi um "segurador de baralho". Eu devia ter uns 10 anos. Faz sentido né! Afinal uma criança tem a mão muito pequena pra conseguir segurar as cartas... hahaha
    Não, nunca usei os lençóis ou as toalhas.

    ResponderExcluir
  5. Essa é a melhor parte da gravidez mesmo... Toda as mães fazem doações para a próxima criança a nascer.

    Nós doamos tudo que o Lucas tinha antes de mudar para a NZ e agora ganhamos um bocado de roupinha para a nossa menina.

    Pay it forward. :)

    @Cris, não tem medo de comprar nada. Daqui a pouco nao cabe mais no seu baby e você doa tudo para uma criança que vem por aí... Te garanto que candidato nunca vai faltar. ;)

    ResponderExcluir
  6. @Pablo: É a comunidade das mães (tá bom, e dos pais também!!) se ajudando!

    Já terminou de ler o livro dos milhares de nomes? :) Tô louca pra saber como essa princesa vai se chamar!

    ResponderExcluir
  7. EEEE, viva a parafernália!!!! E amiga, nem te preocupa com roupa de cama e banho, fora as roupas. Tudo o Arthur/ Henrique vão te dar!!!! Bjssssssssssssss pra mamãe mais amada do mundo!!!
    Dani

    ResponderExcluir
  8. Du, eu também adoro esta história de doação. Eu, particularmente, não comprei quase nada. De roupa mesmo só comprei duas calças de algodão com pezinho, porque o resto foi by vítor arzua de queiroz (roupas que estou devolvendo pra Mari, por isso nem tenho quase o que te passar). Carrinho e babá ganhei da Lia, banheira de uma amiga (na banheira acho que vale investir em uma com suporte para ficar alta (se vc não tiver balcão para colocar em cima) o banho é uma parte muito gostosa de todo dia e se vc tiver que dar agaichada vai ser tortura... da banheira tb gostei e uso muito o "encosto" para bebê e o trocador. Eu sempre pensei muito antes de comprar qualquer coisa, minha regra era: isso realmente vai nos trazer conforto e segurança ou é apenas luxo... assim cortei bastante coisa da lista. E concordo: nada vc não pode comprar depois. Para finalizar: mamadeiras nem são recomendadas e chupeta o léo não gosta. Compra só uma para garantir. Ahhh... e deixa coisas para ganhar, pois se ganha bastante coisa quando o bebe nasce. Beijinhossss Angela

    ResponderExcluir
  9. Suas queridaaaaaaaaaaaaasss!! :)

    ResponderExcluir